quarta-feira, 1 de julho de 2015

Vida que segue



Eu tenho algumas certezas na vida. Que o Náutico vai chegar à final do campeonato e vai morrer na praia. Que no dia que eu tirar a sombrinha da bolsa vai chover exatamente quando eu estiver no meio da rua. Que eu nunca consigo gastar apenas os 50 reais que me propus no RM Express.
Outra certeza absoluta que tenho é que a vida segue. Parece óbvio? Mas não é. 
Algumas vezes passamos por situações tão fodásticas que temos a impressão que a vida parou. Não há vontade de nada. Comer, dormir/acordar, trabalhar... nada. Mas a vida segue. E as atribuições também. E as atividades do cotidiano também. E o tempo não pára. Não dá pra tirar a pilha do relógio da vida.
Mas se nós vivemos nessa constante busca pela felicidade, há de se ponderar que cada minuto é precioso.  Afinal, por trás de cada um deles pode estar escondido um precioso momento feliz que, no fim das contas,  é o que compõe a felicidade: os momentos. E, se é assim, querer parar o tempo é uma grande bobagem.
O tempo passa, a gente querendo ou não. E se a gente não aproveita os momentos felizes, pode ter certeza: eles também vão passar e sequer vão virar lembranças, já que não foram vividos. Vão ser desejos não realizados, com aquele gosto amargo do 'eu devia ter feito'.
Ando com saudades de mim. Da minha imensa capacidade de aproveitar os momentos felizes. Da minha alegria, do meu bom humor, do meu otimismo,  da minha leveza. As porradas da vida real endurecem a gente. Tiram a poesia dos nossos olhos e a pureza do nosso coração. Mas não é isso que quero. Eu me recuso - inspirada em Che - a endurecer e perder a ternura. Isso, de fato, jamais. Não, não. Eu sou bem mais forte do que qualquer porrada. Minha inabalável fé em Deus me diz que logo, logo eu tô de 100% de novo. Como diria Chico, "pode se preparar porque eu tô voltando". Porque se não for assim,  meus amigos, o tempo passa e os momentos também. E a vida segue e a gente fica.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você tem a dizer sobre isso?