quinta-feira, 25 de junho de 2015

Os sinais

Todo mundo já deve ter ouvido falar que quando a esmola é grande demais, o santo desconfia. Em geral, quando é assim, o IVDM, ou "índice de vai dar merda" é grande.

E é pra desconfiar mesmo. Carro muito barato? Fria. Repasse extraordinário de um apartamento? Investigue. E se você conhecer um cara perfeito, sensível,  companheiro, carinhoso,  dedicado e otras cositas más... Sinceramente? O potencial desse príncipe ser um sapo é gigantesco. IVDM imenso!!!
Sabe por que? Porque príncipe encantado simplesmente não existe. Quando Chico Buarque diz na sua Ciranda da Bailarina  "Procurando bem todo mundo tem pereba, marca de bexiga ou vacina. E tem piriri, tem lombriga, tem ameba... só a bailarina que não tem", acho que retrata bem isso de que não existe perfeição em ninguém. Porque, na boa? Até a bailarina peida!!
E a gente sabe disso. Num é não?
Pastor Tercio, meu terapeuta, tem me ensinado a reconhecer os sinais e dar ouvidos a eles. Sim, recebemos sinais!!  Alertas de que há algo errado naquela determinada circunstância , mas estamos tão envolvidos no fantástico-mundo-do-relacionamento-perfeito que não damos atenção a eles. 
Esse é o segundo grande erro (o primeiro é acreditar em príncipe encantado): acreditar que existe relacionamento perfeito. Não, não existe. Nem o relacionamento que mantemos conosco é perfeito. Erramos e tentamos mudar (até mesmo porque não dá pra terminar o relacionamento com a gente mesmo, né?). 
E seguimos na relação, achando que tá tudo lindo e perfeito, cheio de harmonia e reciprocidade, até que, de repente, tropeçamos em uma das pedras que começaram a desmoronar do castelo do príncipe. E a gente ainda insiste. Não vê que isso é um alerta! Insistimos até que nos caia uma pedra beeeeem maior na cabeça, que se desprendeu da torre mais alta do castelo. Aí o dano aumenta e a recuperação é mais dolorosa. Porque quando é  só uma topada, talvez dê pra remediar. Já quando é uma pedra que cai na cabeça... 
Mas cicatrizado o corte, parta para entender o "pra que". Se analise, se conheça.  Se respeite. Não faça escolhas baseadas na carência, no medo da solidão, ou na ideia equivocada de que a felicidade está em outra pessoa que não seja você mesmo. 
Enfim, não devemos ignorar os alertas. Eles são avisos que recebemos de Deus - ou, pra quem prefere, do universo - de que há algo errado. E, creia: se está tocando seu alarme interior - seja um estalinho ou uma sirene -, há algo errado. Não ignore os sinais. Respeite as suas sensações e impressões. O segredo é o autoconhecimento. Com o autoconhecimento vai dar pra sacar se aquele príncipe que você beija não vai se transformar num indigesto sapo cururu, com rima e tudo. E é essa a minha busca: me conhecer, cada vez mais. Experimente também.  É bacana e traz bons resultados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você tem a dizer sobre isso?