quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Póim, póim!

"eu vou nas asas de um passarinho,
eu vou nos beijos de um beija-flor..."
Vocês sabem o que é uma onomatopéia? Onomatopéia é o nome da figura de linguagem por meio da qual imitamos um som com uma palavra. Tipo “glub, glub” que ilustra alguém bebendo água ou até mesmo se afogando. Lembra do seriado de Batman e Robin? Que aparecia uma tela cheia de “pow! tum! soc!”? Pois. “Póim, póim” é uma onomatopéia para uma mola, ou alguém pulando. Pra mim “póim, póim” é a onomatopéia perfeita para a minha novíssima comissão de frente.
O “póim, póim” veio de um fato muito simples. Grande parte das minhas amigas pediu para pegar nos meus peitos novos. Não, pessoas maldosas. Não há nenhuma conotação sexual nisso. Há, apenas, curiosidade de sentir a textura de um peito siliconado. A maioria que pediu para fazer isso tem muita vontade de botar também. E eu entendo. Nunca tinha pedido pra ninguém, até por não tem nenhuma amiga próxima o suficiente que já turbinou, mas tinha curiosidade de saber como era sim. Até por querer botar um dia, como fiz.
E hoje, um mês e meio depois da cirurgia, me sinto assim... como uma bailarina da Timbalada. É como se eu pudesse subir e descer as ladeiras do Pelourinho, batendo bombo, vestida, apenas, com tinta branca nos peitos. E eles estão lá, firmes e duros. Ou seja: “póim, póim”. =)
Um outro fato marcante na minha nova fase é que hoje, pela primeira vez na vida, sai de casa sem sutiã. Me arrumei para trabalhar e por baixo da blusa branca de gola cigana havia apenas uma camiseta leve, tipo segunda pele. Sutiã? No, thanks. E vou te falar... é muito, muito bom. Não apenas por me livrar de uma peça que, ao longo do dia, tende a apertar, até mesmo porque eu tenho costas muito largas. Mas pela sensação de liberdade. Liberdade que não é somente física. É mental. Sinto que hoje dei mais um passo em direção à minha nova realidade corporal. E essa sensação é boa por demais. Que venham as novas conquistas! Estou aqui, de braços abertos, pronta para abraçá-las. Mas que o abraço seja leve, por conta dos meus “póim, póim”, tá?=)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você tem a dizer sobre isso?