domingo, 13 de novembro de 2011

O trabalho enobrece - e cansa - o homem

cuidado com o que escreve
Olá, amigos! Quanto tempo, né? Ando meio sumida, admito. Minha culpa, minha máxima culpa. Ao longo da semana aconteceram muitas e muitas coisas, coisas sobre as quais valia muito a pena escrever. E tive vontade, sabe? Mas não tive tempo. Estou há duas semanas num novo emprego que é, além de cansativo, uma atividade que requer muita atenção. Gerenciar equipe de repórteres e motoristas, além de corrigir textos. Corrigir não apenas a forma, que é o que um editor deve fazer. Mas também o conteúdo. 
Explico melhor para que as pessoas que não são da área de jornalismo possam entender: quando você manda um repórter para a rua você espera que ele apure as informações e as coloque no texto corretamente. Se o texto está mal escrito mas a informação está certa é mais fácil resolver o problema (se bem que reescrever texto ruim é péssimo também). Caso contrário é preciso fazer todo o trabalho que você delegou ao repórter, que é consultar as fontes, conferir as informações e reescrever o texto. Ai, ai... Numa hora dessas penso assim: “ah, Senhor... por que não me fizeste rica ao invés de linda?”.
Tenho pego cada coisa pra editar que até parece que estou lendo um daqueles emails que circulam na internet tipo “pérolas do Enem”. Pra você terem ideia, li um assim: “o objetivo do evento é fazer com que as mães estimulem seus filhos a se apropriar do patrimônio público”. Hein? Como assim??? Escola de ladrões? Tá bom, então.
E os tempos verbais? Pobres tempos verbais... minha sexta-feira terminou com esse “o seminário está acontecendo em (...) e o tema do evento foi (...)”. Oi? Pelo amor de Deus...
Tem coisa pior. Acreditem, tem sim. O que pode ser pior do que ler duas páginas de uma matéria e ao final dela não saber coisas básicas como o que era o evento ou em que local ele aconteceu? Pois é. Já aconteceu comigo. Li duas laudas e terminei sem saber do que se tratava. É, simplesmente, ignorar a lição mais básica do jornalismo, o lead: quem, quando, como, onde e porque.
E quando, no texto, tem informações diferentes sobre a mesma coisa? Tipo o nome do evento, por exemplo. Já li coisas assim também. No mesmo texto o evento tinha três – eu disse três – nomes diferentes.
Não entendo o que acontece. Por que uma pessoa que não gosta de ler e não gosta de se informar ingressa numa faculdade de jornalismo? Ingressa, se forma e vai para o mercado. Aí gente como eu, comprometida com a profissão, tem eu aguentar trabalho mal feito. Ninguém merece. Ninguém merece conviver com mediocridade, má vontade, preguiça e dispersão. Mas faz parte. Na vida a gente só escolhe mesmo amigos e companheiro. Colegas de trabalho não. Estes nós temos que engolir, gostando ou não. Faz parte do exercício diário de amadurecimento pessoal e profissional. Mas que há dias em que eu queria ter colhões... ah, isso há. =P

PLÁSTICA
Agora vou situar vocês sobre a minha recuperação da cirurgia plástica. Amanhã (14) completo um mês de operada. Já terminei as sessões de drenagem linfática e estou de alta. Já posso dirigir, mas não estou liberada para carregar peso nem para fazer atividades físicas. Já estou livre do modelador e do sutiã cirúrgico. De acordo com a minha fisioterapeuta em breve a prótese vai baixar e o peito ficará no formato definitivo. Dr. Pita disse que estou me recuperando muito bem. Passou uma pomadinha pra clarear mais rapidamente as cicatrizes, super em conta, R$ 140,00 uma bisnaguinha de nada. “É a melhor do mercado”, afirmou. Ele disse, eu acredito, mas não dá pra mim. Caro demais.
Em linhas gerais me sinto muito bem. Sem edemas já vejo com mais clareza como vai ficar minha barriga. Conclusão: o caminho é longo mesmo. Apenas comecei a trilhá-lo. Mas tudo bem. O final do arco-íris já foi mais longe.
O que está me detonando é a falta de ânimo. Não sei se foi a anestesia (o médico diz que não) ou se foram os 15 dias de licença. Mas ando extremamente preguiçosa e sonolenta. Espero que minha disposição volte logo, afinal vou entrar de férias! E, pelo menos pras férias, quero estar com toda disposição do mundo, hahahahaha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você tem a dizer sobre isso?