terça-feira, 18 de outubro de 2011

Olha da faca!!

boneca de pano
Ei! Você lembra da minha voz? Mas o meu shape... Ah, quanta diferença! Estou com cinco dias de operada e é claro que o resultado das plásticas ainda não é o que vai ficar de fato. Vejo no espelho, mesmo encurvada, uma imagem parecida com Emília, a boneca gente: um corpo todo retalhado. Mas é uma Emília sem barriga e com peitões. Sensacional!! Hahahahaha! Cara, a cirurgia foi um sucesso. Prova disso é que estou aqui, escrevendo novamente, tão rápido. 
Claro que é punk, é mentira dizer que não. Mas quem passou pela redução de estômago aberta, como eu, passa, seguramente, por qualquer coisa. Afinal na bariátrica eu fiquei cinco dias sem sequer conseguir dormir. Não tinha posição. Essa, na verdade, arde mais do que dói. Os pontos são pequenos, e como o foco é, também, estético, há um cuidado muito grande com isso. O meu médico é muito bacana. Novinho e nada arrogante. Porque assim, né? Médico acha que é Deus. Jornalista tem certeza, mas isso já é outra história... Enfim. Vou contar como tudo aconteceu, tintim por tintim. 
Cheguei no hospital com o gatinho por volta das 5h55 do dia 14. Era uma sexta-feira. O setor de internamento abria às 6h e eu fui a primeira a ser atendida. O médico tinha me pedido isso, sabe? Como o meu procedimento seria trabalhoso demais, qualquer atraso poderia comprometer o dia dele. Então tá. Chegamos lá, lindamente, e tudo foi rápido. Claro que eu tinha ligado pra Excelsior no dia anterior pra me certificar de que as autorizações estavam OK, blá blá blá. Em se tratando da Excelsior, qualquer precaução não é exagero, lembre-se da minha saga. É como naquela música do Cidade Negra: “você não sabe o quanto eu caminhei pra chegar até aqui...”. Pois é. Mas cheguei. E o caminho percorrido já não importa mais. 
Fui pra o quarto, recebi a roupa sexy do bloco e o sabão pré-operatório. Recebi, também, a visita de dr. Sergio Pita, meu cirurgião, que não satisfeito em ver as fotos produzidas em estúdio fez as suas próprias no apartamento do hospital, sob o olhar atento do gatinho e o meu olhar constrangido. E como eu não estava com bastante vergonha, dr. Pita começou a fazer as marcações da cirurgia e fiquei ali, pelada, toda rabiscada, na frente dele e do gatinho. Ai, ai... Mas tudo bem. 
Pronto. Roupa vestida e banho tomado, devidamente marcada e já com um dormonid no juízo, deitei na maca e disse “até já” para o gatinho. Na sala de cirurgia fui apresentada à equipe que ia me assistir. Todo mundo muito, muito novo mesmo. Eu era a mais velha do grupo. A “tia”. Entre uma brincadeira e outra, o anestesista me furou. Sorri pra ele e respondi algo que ele perguntou, mas o formigamento nos pés veio logo. Apaguei. 
Acordei com vontade de vomitar. Sentia dor, muita dor. Botei a mão nos peitos e vi que eles estavam lá. Dr. Pita falou “relaxe, moça... eles estão aí. Mas a prótese foi de 185 ml, não foi a que você queria não”. Eu escutava mais ou menos. Doía demais! O pé da minha barriga, sabe? Lembrou, um pouco, a cesariana. Cheguei no quarto ainda grogue, mas mesmo assim o procedimento de mudança da maca para a cama foi doloroso. Mais vontade de vomitar. Graças a Deus não vomitei, pois forçar seria mais sofrido ainda. Fiquei ali, imóvel, sendo observada pelas enfermeiras e, claro, pelo gatinho, que ficou lá o tempo todo. Algum tempo depois comecei a ficar mais sóbria e fui informada dos detalhes. A cirurgia foi tranquila, muito embora tenha demorado quase cinco horas. Só perdi um pneu, o outro continua firme e forte, esperando a dermolipectomia das costas. Meus músculos precisaram ser costurados duas vezes. E por falar em duas, dr. Pita encontrou duas hérnias quando me abriu e fez os remendos que tinha que fazer. Pois é. Moral da história: tudo em ordem. 
queimem o sutiã!
Mas é claro que todo drama da minha vida é, no mínimo, um pastelão. Estou em casa, me recuperando. Ontem à noite, falando ao telefone com meu primo Erik, comecei a me sentir mal. Falta de ar e tontura. Liguei na sequência pra o gatinho e quase não consegui falar com ele, estava ofegante demais. "Vá para um hospital", disse ele. Liguei pra dr. Pita. Ele disse “vá agora para o Esperança, encontro com você lá”.  Cheguei em 15 minutos e já havia todo um aparado me esperando: cadeira de rodas, leito pronto, máquinas e mais máquinas que não sei nem pra que servem. Ele desconfiava de TEP – tromboembolia pulmonar – um troço bastante comum em pós-operatório. Devidamente monitorada, ele continuava o minucioso exame para saber o que estava errado comigo. Na minha cabeça saltavam as palavras ditas por ele “internamento” e “tomografia”. Mas estava tudo bem comigo. Nada de inchaço nas pernas, nada de pressão alta, glicemia boa, saturando bem (seja lá o que isso quer dizer), nada de nada, apenas a enorme dificuldade para respirar. Aí ele teve um estalo. “Como estão essas próteses, moça?”, perguntou. “Tudo inchado”, respondi. “Vou olhar”, disse ele. Eis que ele abre o meu sutiã cirúrgico e milagrosamente minha respiração começa a normalizar. Minha fala fica mais normal e a vista já não está mais tão escurecida. Ele riu. Sabem o que era? A prótese pressionando meus pulmões. Hahahahahaha... claro, né? Se tudo tivesse sido tão normal não seria uma história minha! Né?? =)

18 comentários:

  1. Cara, eu que tô acostumado a assistir Dr. Holywood fiquei impressionado. Quando acontece com alguém que a gente conhece é mais fácil acreditar que é punk mesmo. (E pensar que vou passar por tudo isso...)Mas o que conforta é que você está em boas mãos, tanto em cima como embaixo. Digo, tanto lá em cima como aqui embaixo. Go Ahead, Ki. Go Ahead!

    ResponderExcluir
  2. Kiki, vc é uma comédia ambulante!!! Imagina a cena: eu no escritório e ao ler seu último post "olha da faca", uma crise de risos me consome, eu rindo descontroladamente ... definitivamente a GLOBO esta perdendo uma grande profissional na dramaturgia !!!!

    ResponderExcluir
  3. oi kiki,marquei uma consulta com o doutor sergio pita,mas nao tenho muita informaçao sobre ele ,gostaria que vc me falasse mais sobre ele,vc sabe né antes de uma cirurgia temos que conhecer o medico .bjs aguardo respostas suas.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Vanessa.
    Vê... Dr. Pita foi o quinto cirurgião plástico que eu visitei. Ele foi indicado pelo meu plano de saúde, Excelsior, pois tive problemas com os médicos credenciados deles. Visitei, ainda, outros por conta própria (particular). Fui vê-lo só pra sacar qual era mesmo. Mas gostei logo de cara e relação médico – paciente é 100% isso, né? Empatia e confiança. Ele me inspirou muita confiança.
    Ele é novinho, bem alto, sorridente e uma das coisas que eu mais me agradei – além da excelente primeira impressão – é que ele dá a real mesmo sobre as coisas. Na minha saga em busca de um profissional escutei de tudo: que eu ia ficar com as costas lisas, que eu ia ficar com os peitos assim ou assados... enfim. Ele foi objetivo e claro comigo. Me mostrou, puxando o excesso de pele em frente ao espelho, exatamente o que ele podia fazer. Mas entenda: o meu dano era muito, muito grande. Perdi 65 quilos e isso é muita coisa. E ele foi o único que disse que eu não ia entrar numa máquina mágica e virar Gisele da noite pra o dia. É o seu caso também? Você é reduzida??
    Mas enfim...
    Dr. Sérgio Pita é sobrinho de Pedro Pita, aquele cirugião plástico badalado. Mesmo sendo médico e ocupado, dr. Sérgio sempre atende ao telefone. E, quando não atende, retorna. No meu pós da barriga/peito tive esse probleminha aí que narrei no post. Liguei pra ele e quando cheguei no hospital ele já havia alertado a equipe, além de já estar lá me aguardando. Esperou comigo, do lado da cama, o resultado do exame chegar e a TEP ser descartada.
    Nessa última, braço/perna, tive um contratempo com o braço esquerdo, nada com a cirurgia não, coisas da recuperação apenas. Dr. Pita estava em Porto de Galinhas. Mandei uma foto de como estava o braço pra o celular dele e ele voltou da praia e me viu ainda no domingo. Muito atencioso.
    Vou te dizer: só esse acompanhamento é muito importante. O pós-op dele é impecável.
    Eu realmente recomendo o trabalho de dr. Pita. Recomendo ele também como pessoa. Mas vai lá, conversa com ele. Leva uma listinha com as tuas dúvidas. Só te dou um conselho: sendo ele ou qualquer outro, só faça quando você se sentir segura com o profissional. Eu fiz quatro partes do corpo com ele e vou fazer mais duas: costas e bunda. Virei fã, por assim dizer. Mas confiança é tudo. É feito meu cabeleireiro, Jô. Eu digo pra ele: se joga, Jô. Ele se joga, faz o que quer na minha cabeça e sempre - sempre - fica ótimo. Modestamente, claro, hahahahaha.. =)
    Aproveita o café de Sandra, a atendente do consultório. É ótimo.
    Boa sorte e se tiver mais dúvidas... estou às ordens.
    Bj,
    k.

    ResponderExcluir
  5. Realmente, o Dr. Sérgio Pita é demais! Fiz uma mamoplastia com ele a 3 meses e adorei o resultado! Pretendo fazer uma rinoplastia com ele tbm. Alguém já fez essa cirurgia com ele? e Gostou do resultado?

    ResponderExcluir
  6. estou com os exames prontos para marcar minha cirurgia com Dr. sergio pita . este ano decidi procurar um médico para fazer uma correção de uma cirurgia que fiz ha 15 anos atras com um médico chamado deDr.Veras do cabo de Santo Augostinho no hospital de São Sebastião deixou meus mamilos fora do lugar ,ele não era cirurgião plastico e eu não sabia.Hoje sou mais informada e procurei este ano três médicos para avaliar meu caso inédito ,um deles até se surpeendeu quando tirei a blusa foi aí que me senti uma pessoa deformada ,voutei para casa com a estima baixíssima e sem esperança de voutar a olhar para o espelho novamente e ver meus seios consertados. Mas no dia que fui para o Dr. Sergio pita ele me deu segurança eme tratou como uma pessoa normal ,saí dali renovada cheia de esperança ,ele disse o melhor para meus seios que seria uma protese do tamanho dos meus seios .Se Deus quizer irei me operar em Janeiro de 2014 .orem por mim pois irei fazer peito e barriga.

    ResponderExcluir
  7. oi gente ,como eu disse em outubro do ano passado ,me operei em janeiro no dia 10 e hoje estou com 2 meses de cirurgia ,querem saber como foi né? pois faria tudo denovo,não doeu nada depois da nestesia .Minha césária foi muito pior,o imprecionante é que além da prótese nos seios o dr. sérgio refez todo meu seio como falei o ano passado ,dr, sérgio fez milagre em mim,também fiz abdminoplastia sem dores,detalhe minha cicatriz ficou perfeita ,como ele me disse que melhor do que isso impossível ,e fiz lipo nas costas ,estou muito feliz,meu umbigo está lindo,em fim ,estou muito satisfeita com o resultado e principalmente com o carinho e atenção desse proficional comigo,aconselho ele a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Margareth boa tarde gostaria de falar com você fui vitima de Dr Roberto Veras preciso de sua ajuda por favor me liga meu fone (081) 987867738.

      Excluir
  8. Eu conheci uma mulher que fez mamoplastia de aumento com Dr. Sérgio Pita, ela elogiou demais o trabalho dele. Tanto que resolvi marcar uma consulta com ele pois tenho vontade de colocar proteses de silicone. Vocês realmente me indicam ele? Estou muito receosa com a escolha do medico.

    ResponderExcluir
  9. olha.... dr. Pita fez as minhas cinco cirurgias plásticas reparadoras. Além de competente, ele tem algo que faz toda a diferença pra quem se submete a uma cirurgia: o pós-operatório. Ele é atencioso e disponível. Não tema. Você não vai se arrepender.

    ResponderExcluir
  10. Marquei minha consulta com ele pra amanha, depois venho contar pra vcs o que achei dele e se realmente farei a cirurgia. To torcendo pra que dê tudo certo

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde, vcs sabem informar se Dr. Sérgio Pita também faz cirurgia de pescoço? Ouvi muito falar de Dr. Pedro Pita, mas como vcs estão elogiando tanto Dr. Sérgio, acho que irei nele.

    ResponderExcluir
  12. Eita... Não sei te falar. Mas liga pra o consultório, fala com Sandra, a atendente. Fone 3088 8811. Boa sorte.

    ResponderExcluir
  13. Kiki, o seu pós foi feito com a esposa dele? As massagens??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, todas as drenagens linfáticas e ultrassons foram feitos com Milena Pita. Drenagem cirúrgica é diferente, tem que ser feito por especialista na área. E as salas dos dois... Porta com porta, né? Qualquer anormalidade, são apenas cinco passos do cirurgião. Eu gostei muito de tudo lá. Higiene, atendimento, técnica. Tudo de bom.

      Excluir
  14. ola kiki adorei as informaçoes marquei uma consulta pelo plano unilife com o dr. Pedro pita só q no meu caso é mamoplastia redutora será que o plano cobre essa cirurgia?

    ResponderExcluir

O que você tem a dizer sobre isso?