terça-feira, 11 de outubro de 2011

Contagem regressiva

obra de arte
Dentro de mais ou menos 72 horas estarei entrando na sala de cirurgia de um hospital daqui do Recife. Estão marcados para a sexta-feira, dia 14 de outubro, às 7h da madrugada, os procedimentos de abdominoplastia e mamoplastia com prótese. Trata-se da primeira etapa das plásticas reparadoras às quais me submeterei para arrumar o que saiu do lugar depois que perdi 60 quilos. Mas... pensando bem... será que alguma vez as coisas estiveram no lugar? Imaginem uma pessoa de 1.65 m pesando, desde 1992, mais de 100 kg? É, não tinha nada no lugar não. De fato eu não me lembro, nunca, de ter me olhado no espelho e não ter visto barriga. Em algumas ocasiões imensa, em outras, menor. Mas sempre lá, a tal barriga. 
É mais um marco na minha vida, mais um dentre tantos já alcançados e de muitos que ainda espero alcançar: não ter barriga. E ter peito. Eu tinha peito. Depois de amamentar eles tipo assim... murcharam. Aí perdi 60 kg. Aí eles... bom, não consigo pensar em nada adequado para descrevê-los. Mas na sexta também arrumarei isso e terei peitos novos, lindos e firmes, apontando para Belém. Tá, tá bom. Belém não. Mato Grosso, tá bom assim? Hahahahahaha. Conversando com minha amiga Patchi falei pra ela que me sentia como uma vela derretendo. Sabe quando a vela está queimando e a parafina escorre pelas laterais dela e cai ali, de qualquer modo, tomando uma forma engraçada e até bonitinha? Pois é. Bonitinha pra ser uma vela derretida, não uma pessoa, né? Ai, ai... 
Mas falo sobre isso sem o menor pudor. Não é segredo para quem me lê que eu tô sharpei mesmo. Tô, mas não ficarei. Se eu fosse carne (daquelas que são vendidas em frigoríficos) a evolução seria mais ou menos assim: março de 2010 - picanha com grossa camada de gordura. Até 14 de outubro de 2011 - maminha. Depois de 14 de outubro de 2011 - filé. Hahahahaha... filé! Uhuuuuuuuuuuuuuuu!!! Tratarei sobre isso como os períodos AP e DP - antes e depois da plástica. É lógico que eu queria mesmo era arrumar a lataria de uma vez só. Mas não dá não. É muita pelanca pra tirar e ainda vou arrumar outras partes do corpo, mas os procedimentos têm que ser feitos em suaves prestações. 
No consultório, com o médico, quando tirava a roupa pra ser avaliada, sempre procurava uma posição que me deixasse menos... menos... bom, menos. Quando entreguei o retrato médico pra ele... nossa! A cara dele, olhando pra o retrato e olhando pra mim foi sensacional. Depois de um tempo ele disse assim: "você vai me dar um trabalho...". Respondi: "capricha, doutor! vou ser o seu melhor cartão de visitas". Hahahahahaha. É isso. O caminho foi árduo, difícil. Mas graças a Deus encontrei pessoas no caminho que me ajudaram muito, me deram a mão e não me deixaram desistir, mesmo encontrando tantos obstáculos pela frente. Eu sou mesmo uma pessoa abençoada, pois o Pai coloca os Seus anjos na minha vida. Anjos que não me deixaram, nunca, desistir quando eu porventura esmoreci. Obrigada a todos vocês, de coração. 
E a maior lição que tiro disso tudo é que nunca, nunca devemos desistir de algo que realmente queremos. Quando realmente queremos algo temos que lutar com todas as armas que temos. E lembrem-se das palavras do Senhor em Mateus 21:22 "tudo aquilo que pedirdes em oração, com fé, recebereis". E olha aí! Eu recebi!! Orem por mim. Torçam por mim. Amém. 

Um comentário:

  1. Kiki, n sei se é com meu pai que vais fazer a plástica, mas seu relato foi emocionante!!!! Boa sorte, estás cada vez mais linda!!!!

    ResponderExcluir

O que você tem a dizer sobre isso?