segunda-feira, 13 de junho de 2011

O sabor amargo da frustração

chocolate amargo é bom. hidrogenado não é bom.
É muito ruim quando criamos expectativas sobre uma determinada coisa e essa determinada coisa não se desenrola da maneira como imaginamos que ela deveria se desenrolar.  É mais ou menos como passar na frente de uma loja de doces, bater o olho numa linda e sensacional trufa de chocolate e, contrariando o que manda o espelho e a balança, entrar na loja e comprar a bendita trufa. A expectativa é tanta que o próprio desembrulhar da trufa vira um ritual. Ansiosa, você mete a boca no doce e experimenta a sensação frustrante de morder nada mais, nada menos do que um chocolate hidrogenado.  Você, que aprecia chocolate, sabe do que eu estou falando. Chocolate hidrogenado é o erro, ou não é? Pois é. É mais ou menos assim quando nos frustramos com alguma coisa. É como morder um chocolate ruim que você esperava ser muito, muito gostoso mesmo. Mas é claro que isso é uma metáfora. Estou falando por meio de uma metáfora só pra desabafar. Passei, recentemente, por uma frustração de expectativa que me deixou meio bad, e como escrever é o meu exorcismo cá estou eu exorcizando os meus demônios da frustração. Mas prefiro salvaguardar o tema da minha expectativa frustrada. Por mim mesma, sabe? Porque machuca falar sobre.  Mas é meio como o lance da trufa mesmo. Só que com muito mais carga emocional. Eu esperava comer essa “trufa” há cinco anos. A última trufa que comi foi em 2006. Então é lógico que havia muita expectativa sobre a bendita trufa que eu ia comer. Muito embora a lição ensinada há anos pela minha amiga Raquel ter sido assimilada por mim, a teoria é sempre muito mais fácil do que a prática. Ela me dizia assim: “você é a única responsável pelas expectativas que cria, Kiki. Ninguém mais é”. Ela está certa, eu sei. Mas vocês concordam que é difícil demais esse exercício de não transferir nossos anseios para terceiros. Isso ainda não consegui aprender como se faz. Sei apenas a teoria. E a teoria é sempre – sempre – muito fácil. Mas é isso. Vou mais uma vez usar toda a minha veia polianesca e pretendo fazer dessa experiência frustrante uma lição para aprender e crescer. Mas até que meu lado pokemon evolua a esse nível de maturidade, sigo amargando o sabor ruim do chocolate hidrogenado. Bola pra frente. Mas da próxima vez, quando eu for comer uma trufa, vou parar mesmo é na sweets. As possibilidades de erro são menores quando optamos pelo caminho mais seguro. Tenho dito.

2 comentários:

  1. "As possibilidades de erro são menores quando optamos pelo caminho mais seguro." Algumas vezes na vida a gente precisa seguir o caminho incerto pra aprender a encarar nossas próprias frustrações.
    Pois é, eu acredito que tudo acontece por um motivo. As pessoas mudam para que você consiga deixá-las para lá. As coisas dão mal para você aprender a apreciá-las quando estão boas. E às vezes as coisas boas se separam para que coisas melhores ainda se juntem...

    Argumentos bem colocados.
    Um beijo kiki corázon

    ResponderExcluir
  2. Amiga meus ombros e meus ouvidos continuam a sua disposição....
    Beijo no coração!

    ResponderExcluir

O que você tem a dizer sobre isso?