sexta-feira, 3 de junho de 2011

Insatisfação, teu nome é Kiki...

cut-cut
Sorte no jogo, azar no amor. E vice-versa. Saco isso, viu? Por que será que não podemos ser felizes em todos os setores da vida ao mesmo tempo? Tipo estou pegando um gatinho muito massa, tenho um emprego que me rende zilhares de reais, uma família equilibrada, uma babá quase perfeita, um carro poderoso com tração nas quatro rodas. Pois é. Da semana passada pra cá a minha vida está o retrato do caos: meu KArro, que não é mesmo um 4x4, caiu num buraco tamanho GG e o conserto custou a besteirinha de R$ 1.100,00 + um pneu novo. Pra completar perdi um dos meus trampos. Eu estava só com dois, então agora é feito aquele joguinho: 'resta um'. Ah, ainda tem a babá quase perfeita do meu pequeno Taz, que mostrou ser feito vassoura - funciona melhor quando é nova. Mas, vamos lá: consertei o Karro; mantenho - graças a Deus - o meu melhor trampo; dei a real pra babá e ela está varrendo melhor. Eu sei, eu sei.. a bíblia diz "em tudo dai graças". E eu dou, dou sim. Sou grata a Deus pelo meu filho, pela saúde dos meus, minha família, meu gatinho, meu emprego, meu karro... mas poxa... eu queria que tudo estivesse 100% em todos os aspectos. Namoro bom + renda maior + babá 100% confiável... Sempre aparece alguma coisa pra tirar a gente do eixo. Sempre aparece alguma coisa pra nos deixar mal, resmungando e reclamando da vida. Fico pensando que isso é uma coisa que Deus permite para nos ensinar a ser gratos, pacientes, tolerantes. E eu estou aprendendo, dia a dia, a ser assim. Se eu consigo? Nem sempre. Mas estou tentando. E isso, amigos, é de fato muito importante: pelo menos tentar melhorar. Né?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você tem a dizer sobre isso?