quarta-feira, 29 de junho de 2011

Cenas da vida real, parte 1

Ontem, no shopping Tacaruna, fui abordada por um rapaz. Na verdade este mesmo rapaz, doravante denominado cafuçu, já havia me abordado antes, no mesmo Tacaruna, há alguns meses. Pois bem. Na primeira vez que ele me abordou foi deveras estranho, pois o cafuçu me seguiu por todo o shopping, me acompanhando nas lojas que eu entrava, até o momento em que eu parei e disse que ia chamar o segurança. Ele, o cafuçu, começou a me dar cantadas no melhor estilo cafuçu de ser. Só pra vocês terem ideia ele me perguntou qual era o ônibus que eu pegava para ir pra o shopping. Tá bom, então. Passou. Eis que ontem, enquanto eu peruava pelos corredores esperando pelo atendimento no Detran (que demorou quatro horas para acontecer, by the way),  topo com o mesmo cafuçu. O diálogo:

Ele: - Por que você tem raiva de mim?
Eu: - Não tenho raiva de você, nem conheço você.
Ele: - Mas eu já falei com você aqui antes.
Eu: - Sim, eu lembro. Mas essa é a segunda vez que eu vejo você.
Ele: - Não. Já vi você duas outras vezes, falei e você não respondeu.
Eu: - Me viu? Onde?
Ele: - Num coletivo.
Eu: - Acho pouco provável...
 (...)
Ele: - Me dá teu telefone.
Eu: - Tá me assaltando???
Ele: - Não, princesa. Me dá o número do teu telefone, vou te ligar, pra gente sair...
(de coletivo, imaginei)
Eu: - Não, não vou te dar o número do meu telefone.
Ele: - Então anota o meu.
Eu: - Eu não vou anotar o seu número porque eu não vou te ligar.
Ele: - Ah, princesa... liga, vai! Pode ligar a cobrar...

Dá pra tu?? Ai, ai... algumas coisas só acontecem comigo...

6 comentários:

  1. É um daqueles "doidos de shopping". Te liga.

    ResponderExcluir
  2. nossa! eu nem sabia que tinha essa categoria de doido... doido de shopping... o que eles fazem???

    ResponderExcluir
  3. Nunca visse não? No Tacaruna mesmo tem um velhinho que até crachá tem. Ele vive percorrendo as lojas e faz pequenos serviços pros comerciantes. É do tipo doido inofensivo, mas já vi ele discutindo com um segurança das Lojas Americanas , sei lá por quê. Quanto ao galã cafuçu, pode ser só um jovem desocupdo da periferia doido para encontrar uma, digamos... mulher incauta que o adote no sentido financeiro-sexual.

    ResponderExcluir
  4. gente... tô chó! uma coisa que tenho observado é o quão comum está ter pessoas pedindo esmolas no shopping. eu já tinha sido abordada algumas vezes no Bompreço por gente pedindo pra comprar uma lata de leite, etc. mas agora eles estão nas praças de alimentação e nos corredores também! entre um sushi e outro ali no Niuá fui abordada duas vezes! eu soube, também, que no Boa Vista há muitos assaltos. Tipo daqueles de atacar no banheiro e obrigar a pessoa a ir no caixa eletrônico. pois é... quem optava pelos shoppings pra ter segurança no lazer vai começar a pensar duas vezes. mas sério, no caso lá do cafuçu acho que era inofensivo no quesito maldade. ele estava, como vc disse Anônimo, procurando uma mulher mais velha, no caso EU (putaquepariu!!!!), pra provê-lo. hahahhaha.. fala sério!!! bateu na porta errada!!!

    ResponderExcluir
  5. Ele pode esta indo bem, ganhou até um post hahahaha. Quem sabe não é a cara metade ou o ponto de equilíbrio. Seu o lado oposto, tipo: celular pai de santo (só recebe), buzão etc e tal. bj

    ResponderExcluir
  6. bom, o post nasceu por ser uma situação interessante e engraçada que aconteceu comigo, não pela importância que o cafuçu tem na minha vida, até porque se o critério fosse esse, não haveria post algum. eu, hein!

    ResponderExcluir

O que você tem a dizer sobre isso?