sexta-feira, 15 de abril de 2011

Ronc, ronc...

ah, que inveja de dormir largado assim...
Eu adoro dormir. Adoro mesmo. Muita gente fala que é perda de tempo, mas pra mim dormir é um prazer imenso, comparado a coisas como comer uma boa comida ou dar uma boa namorada. Pois é. E dormir é uma coisa que eu venho fazendo pouco, muito pouco. Um dia antes de Renato nascer, exatamente na noite do dia 28 de janeiro de 2009, eu não dormi. A cesárea estava marcada para 7h do dia seguinte e eu não consegui relaxar. Acho que de lá pra cá - isso mesmo, mais de dois anos - não consegui dormir uma vez sequer como eu dormia antes de tê-lo. Mesmo quando eu viajo, ou quando eu fui internada (diverticulite / redução de estômago), não consegui dormir, pois sempre tem alguém que vem me acordar, ou tem alguma coisa que preciso fazer, blá blá blá. Eu tinha marcado com o gatinho um relax para depois do carnaval. Até que saímos da cidade, sem filhos, sem amigos, só nós dois. Mas dormir.. não. Não dormimos. Relógio biológico é punk e o dele é extremamente regular. Militar, né? Ou seja: 6h da madrugada, no máximo, ele acorda... e me acorda também. Ainda bem que acordar com o gatinho é muito bom. Mas... eu queria dormir, sabe? Dormir sem hora pra acordar, sem responsabilidade qualquer, sem nada. O sono, para quem não sabe, não é apenas uma necessidade de descanso mental e físico. É durante o sono que ocorrem vários processos metabólicos que, se alterados, podem afetar o equilíbrio de todo o organismo. Estudos que comprovam que quem dorme menos do que o necessário tem menos vigor físico, envelhece mais rápido (argh!!!) e está mais propenso a infecções, obesidade, hipertensão e diabetes. Pow, cara! Tás vendo como dormir é importante? Eu li na internet que a Universidade de Stanford, nos EUA, realizou um "estudo de atenção" com pessoas que não dormiam há 19 horas. O resultado foi que eles cometeram mais erros do que pessoas com 0,8 g de álcool no sangue - quantidade equivalente a três doses de uísque. No mesmo teste, as tomografias computadorizadas do cérebro das pessoas privadas de sono mostraram redução do metabolismo nas regiões frontais (responsáveis pela capacidade de planejar e de executar tarefas) e no cerebelo (responsável pela coordenação motora). Ou seja, não dormir provoca dificuldades na capacidade de acumular conhecimento e alterações do humor, comprometendo criatividade, atenção, memória e equilíbrio.  Além disso, é durante o sono que são produzidos alguns hormônios, como por exemplo o hormônio do crescimento, conhecido como GH, cujo pico de produção ocorre durante a primeira fase do sono profundo, aproximadamente meia hora após pegar no sono. Deve ser por isso que Renato é tão grande, então. Porque pense numa criança que dorme, viu? A média é 9h por noite. Bom, né? Demora a dormir, luta o quanto pode, mas quando sucumbe... nem um terremoto acorda ele. Enfim... vou ver se tiro um dia inteiro só pra dormir. E, acreditem, minha sensação não será, nunca de perda de tempo.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você tem a dizer sobre isso?