terça-feira, 19 de abril de 2011

Chove chuva, chove sem parar...

para se manter sempre no salto...
mesmo morando no Recife...
Hoje recebi um tweet* sensacional: “o Recife só tem dois bairros – Água Fria e Afogados”. Pra quem não entendeu e não está morrendo de rir agora, explico: Recife está debaixo d’água. Né? Afogada em Água Fria? Dãaaan... Piadas lesas à parte, Recife é mesmo uma cidade peculiar quando chove. Entendemos porque tem o título de Veneza Brasileira. Não, não é por conta dos rios Capibaribe e Beberibe que lindamente cortam a cidade. É, na real, porque em dias de chuva precisamos não de carros, mas de gôndolas para cruzar a cidade. Hoje mesmo eu ia ficar loura num salão em Boa Viagem usando um cupom mó brodagem que comprei no Peixe Urbano. Saí de casa com hora e meia de antecedência mais ou menos, tipo 9h30. Moro na Boa Vista, ali perto do 13 de maio. Perto das 11h eu ainda estava parada em frente ao hospital Português, na Agamenon, naquela faixa colada ao canal, sem a menor possibilidade de retorno. Liguei para o salão e remarquei. Fiquei arrasada, estava louca para estrear um visual paquitoso ainda hoje. Mas tudo bem, cest la vie. Coisas de Raincife (mais uma do twitter). A moça do salão, Claudia, me disse que tinha gente que saiu de casa às 7h30 e ainda não havia chegado lá. Nessa hora consegui furar a gigantesca fila de carros e fazer o retorno no Joana Bezerra. Peguei o beco de volta pra casa na própria Agamenon, que no sentido Olinda estava beleza. Quando subi o viaduto voltando pra casa vi o dobló que estava na minha frente no sentido Boa Viagem ainda parado exatamente no mesmo lugar. Minha gente... o que é isso, afinal? Ontem à noite, quando eu e meu gatinho estávamos indo pra Casa Forte tomar um clone de choppinho no Botequim Real, pegamos vários trânsitos lentos por conta dos pontos de alagamento. Vários mesmo! É incrível como é preciso pouca chuva pra cidade transbordar. E isso se deve, pessoas, não apenas ao fato da nossa cidade estar situada abaixo do nível do mar. Se deve, principalmente, a má educação da população daqui mesmo. Por que as galerias entopem tão facilmente? Porque jogamos lixo nas ruas. Jogamos não, alto lá! EU bato no peito e digo que não jogo. Minha bolsa é cheia de papel de bombom, chiclete, panfleto, et cetera... mas eu não jogo lixo no chão. E fico mordida com quem joga. A falta de consciência é tanta que já vi até um garçom, num bar no Recife Antigo (faz tempo, né?), fazendo meio que um rodinho com a mão envolta no seu paninho de pratos e jogando tudo que estava na mesa – casca de amendoim, saco do amendoim, copo descartável, guardanapos, etc – no chão. No chão! Vocês acreditam??? Fiquei tão chocada e falei montes pra ele, falei que uma atitude como aquela provoca alagamento na cidade, blá, blá, blá, além de ser anti-higiênico e uma puta falta de educação. Ele simplesmente me olhou com cara de bunda e fez a mesma coisa na mesa do lado. É lasca.  Fora o povo que de dentro dos seus carros de luxo fica jogando tudo pela janela, o que prova que educação não tem nada a ver com dinheiro. Consciência, meu povo! Vamos ajudar a nossa cidade a não morrer afogada! 


* que tal me me seguir no twitter? @kimarinho. =)

3 comentários:

  1. Por isso eu sigo alimentando minha porquinha com moedas...

    http://www.youtube.com/watch?v=yzEDY7P8Vps&feature=fvwrel

    ResponderExcluir
  2. mas... tem que ser uma elefanta, não uma porquinha... hahahahaha

    ResponderExcluir

O que você tem a dizer sobre isso?