quarta-feira, 2 de março de 2011

Quando o trabalho é, também, diversão

passagem de som: bombação total
Trabalhar é muito bom. Engrandece e dignifica o homem. Alguém, que eu não tenho a menor ideia de quem foi e não vou procurar no Google só pra pagar de sabida, disse isso e eu assino embaixo. Graças a Deus meus pais tiveram condições de bancar meus estudos e só comecei a trabalhar mesmo na faculdade, nos estágios de jornalismo. Meu primeiro estágio foi na Associação dos Servidores do Banco Central – Asbac.  Lá eu fazia o jornalzinho. Esse foi realmente o primeiro. Emendei um no outro. Ao longo do meu curso de jornalismo fiz 14 estágios. Lado bom além da experiência adquirida: fiquei conhecida no meio, o que é muito importante numa carreira profissional que funciona, principalmente, na base de indicação de colegas. Meu primeiro emprego, de carteira assinada, foi num jornal. Lá eu era editora e colunista, muito legal. Hoje, com 13 anos de formada, eu trabalho em três lugares: sou produtora de uma TV institucional; consultora de uma empresa de terceirização e assessora de imprensa e produtora de um grupo musical. Eu adoro os meus três trabalhos. Eles são extremamente diferentes, até pelo perfil dos contratantes (serviço público, empresa privada, cultura) mas todos são bastante legais e edificantes. Na TV, por exemplo, onde estou há nove anos, sou mais popular do que bolo de goma. Posso até não conhecer todo mundo, mas todo mundo, com certeza, me conhece. Na consultoria me reporto ao superintendente, que é um executivo competente e me ensina muito. Já a banda... bom, a banda é um capítulo à parte. Estamos falando de 21 músicos mais sete pessoas na equipe técnica, e no conjunto da obra há, apenas, duas mulheres: a vocalista e eu. Greia total, né? Fora isso, enquanto trabalho posso também curtir, pois adoro dançar. Mas nos três é assim. Meus melhores e maiores amigos são dos meus trabalhos. Minha comadre Mônica, por exemplo, é da TV. Já eu e Raquel nos conhecemos no meu primeiro emprego, aquele lá do jornal. Enfim... E por conta desses laços que são criados, do clima bacana que fica nos locais quando o ambiente é legal, trabalhar termina virando uma diversão. Eu garanto o pão nosso de cada dia e as gargalhadas nossas de cada dia também. Na minha sala da TV é exatamente o contrário da banda: somos oito mulheres e apenas um homem. Papo calcinha total!!! Nos três trabalhos temos vida extra-escritório. Saímos para almoçar, curtir, conversar... Mas não pensem que tudo vira zona não. Trabalho, arduamente, nos três lugares. Afinal as coisas precisam ser feitas e no fim tudo é, na verdade, uma linha de produção mesmo. Mas o serviço sempre flui melhor quando o clima é bom e o ambiente harmônico. A gente chega vai trabalhar feliz. Às vezes até me dá até vontade de arrumar um quarto emprego... Tenho horário vago da meia noite às 6h da manhã. Alguém sabe de algo pra me indicar???

3 comentários:

  1. auhauhau
    *Vai pra merda KIKI!!
    uhauhau
    QUArto emprego só se for no QUARTO!! uahuah
    pq vc jah tah superrrrrr atolada!!
    auhauh
    bejuxx

    ResponderExcluir
  2. Pow, Mariazinha... super atolada, no quarto? assim tu derrota com a minha reputação... hahahhahaha

    ResponderExcluir
  3. Opsss... você tem uma ocupação sim da meia noite as 6h da manhã! Cuidar de deixar sua pele como um pêssego! Quando não, dormir e descansar. Isso quando Renato deixa! heheheh!!!!

    ResponderExcluir

O que você tem a dizer sobre isso?