quarta-feira, 30 de março de 2011

Parabéns para mim!!!

há um ano era eu que parecia um balão...
Hoje eu estou de parabéns. Não, não é meu aniversário. Meu aniversário é na semana que vem (terça, 05). Hoje é o aniversário de um ano da minha gastroplastia. Êeeeeeeeeeeee!!! 365 dias da minha vida nova. Vamos aos números. Peso em 30 de março de 2010: 135 kg. Peso em 30 de março de 2011: 78 kg. Perda: 57 kg. Manequim em 30 de março de 2010: 56. Manequim em 30 de março de 2011: 42. Namorados em 30 de março de 2010: 0. Namorados em 30 de março de 2011: 1. Massa, né? Aliás, massa não. Alface. Agora eu sou ligth. O fato é que estou bastante satisteita com o resultado da minha cirurgia. Eu levei anos e anos pra me decidir. Achava que redução de estômago era coisa pra gente sem força de vontade, gente que não conseguia perder peso fazendo dietas. Ou seja: gente como eu. Mas eu não via isso. Emagrecer com dieta é coisa para poucos. É preciso um nível de disciplina e organização que é praticamente impossível de encontrar em seres humanos normais, pois infelizmente o normal não é disciplina e ordem. Me convenci disso depois que engravidei, pois além de gorda fiquei sedentária. Antes da gravidez, mesmo gorda, eu era ágil e disposta, pois nadava e fazia dança de salão. Tive que parar com tudo, por ordens médicas, durante todo o primeiro trimestre da gestação. Quando fui liberada para voltar às atividades físicas já não tinha mais ânimo para nada. Resultado: sedentarismo total. Renato nasceu e começou a mamar. Mamou muito, peito exclusivo até os seis meses de vida. Emagreci 27 kg dando de mamar e cheguei aos 107. Depois que o ritmo diminuiu... pense. Comecei a engordar loucamente e quando dei por mim estava com quase 130 kg novamente. E o pior: sem resistência física nenhuma. Zero mesmo. Resolvi reduzir o estômago quando a pediatra de Renato me disse assim: "você tem que tomar cuidado para que o seu filho não seja obeso, pois você é o espelho dele e ele vendo você gorda desse jeito vai achar que isso é normal". Não que gordos sejam anormais. Não acho isso. Mas eu também não queria que o meu pequeno passasse pelas coisas que eu passei. O mundo, definitivamente, não foi feito para gordos. Hoje, menor, vejo isso com mais clareza do que antes (por conta do tal instinto de defesa...). Mas o fato é que se eu pudesse dar um conselho para você que tem dúvida sobre fazer ou não fazer a redução de estômago ele seria assim... um plágio da propaganda da Nike: just do it. As coisas boas superam em milhões porcento as coisas ruins. Riscos existem. Eles existem em tudo na vida. Então não tenha medo. Faça. Mude sua vida. Renasça. Eu renasci. Com mais saúde (tomava três remédios para hipertensão), mais disposição, mais autoestima. E para comemorar o meu aniversário de um ano de reduzida ganhei um mega-presente. Meu gatinho é assim... modelo magro-sarado e me deu pra provar uma bermuda dele. Tamanho: 40. Eu sempre quis usar uma roupa boyfriend mas só conseguiria isso se namorasse o Rei Momo. Olhei atravessado para ele e para a bermuda. Ele insistiu. Vesti. Coube. E eu não coube em mim de felicidade. Ganhei aquele abraço apertado e um belo sorriso orgulhoso dele. Foi, sem dúvida, um excelente presente de aniversário. Foi um momento mastercard. E que venham outros, então. Afinal esse é apenas o primeiro ano da minha nova vida. Parabéns para mim!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você tem a dizer sobre isso?