quarta-feira, 23 de março de 2011

O homem que falava... Renatês!!

salve simpatia!!!
Meu filho tem quase dois anos e dois meses. Ele não fala. Nada. Absolutamente nada. Nada inteligível, pelo menos. Ele conversa por horas e horas com a gente. Mas numa língua própria, a língua que é falada lá no planeta dos Renatos. Hilário vê-lo zangado, por exemplo, com os braços cruzados e falando, provavelmente desaforos, só que no idioma dele, o Renatês. Quando ele quer contar algo que aconteceu é que o negócio fica engraçado mesmo pois ele gesticula e os sons que emite tem tons e timbres diferentes, como exclamações ou perguntas. Minha mãe, que passa o dia com ele, diz que entende o que ele fala. Bom... eu não entendo não. Pra mim ele diz báaababa ou dugahá, ou géeedigóoo, tufaloooo, aaaaaaaaaaaga. Este último imagino que seja água. Imagino. Certeza não tenho. Mas quando ele fala isso eu dou água. Nem sempre ele bebe, mas invariavelmente joga em mim. Coisas de Renato. A pediatra dele chegou a insinuar que ele deveria ter algum problema de desenvolvimento, pois com essa idade já deveria estar falando. Conversei com várias mães e todas elas me falaram que cada criança tem seu tempo, não há uma regra. Mãe ele fala, faz tempo. E pai também (chamou o pai de papá mesmo sem vê-lo há um ano inteirinho). Ele olha para a minha irmã e diz "ia". Quero crer que seja tia. Lógico que eu não esperava que Renato aos dois anos e pouquinho falasse "inconstitucionalissimamente". Mas queria que ele já pedisse a bolacha ou o gagau. Ao mesmo tempo fico pensando que vou sentir falta dessa fase do Renatês. É tão bonitinho! Contraditório, não? Quero que ele se desenvolva mas acho linda essa falinha dele. Ele vai pra escola em abril. Tá pertinho. Aí ele vai deslanchar de vez. E eu vou ficar aqui, abestalhada, querendo que ele fale "bãe" quando ele vai me chamar de "genitora". Ai, ai, ai.. Como nós, mães, sofremos, viu? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você tem a dizer sobre isso?