quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Evolui, Pokemon!*

todo mundo tem seus momentos Mamba Negra
Raiva não é um sentimento bom. Não mesmo. Raiva faz a gente se sentir retorcido por dentro. Raiva faz a gente se sentir grande e ao mesmo tempo pequeno. Raiva nos leva a fazer coisas que normalmente não faríamos. É. Definitivamente raiva não é um sentimento legal. Ontem eu tive uma raiva tão grande, mas tão grande, que a minha pressão, que estava lindamente equilibrada desde que emagreci, subiu vertiginosamente. Subiu tanto que minha cabeça doeu. Ah, que coisa ruim! É ruim a pressão subir, mas ruim mesmo é não conseguir dominar a tal da raiva. É muito difícil ter autocontrole. Principalmente quando uma coisa te tira do sério e te deixa com raiva. Mas essa raiva que tive e que terminei somatizando me fez refletir sobre a necessidade de aprender a controlar os sentimentos. Lembrei de Kill Bill, quando Bill está falando com a personagem de Uma Thurman, Beatrix Kiddo, sobre Pai Mei, o mestre japa, e seu imenso autocontrole. Tá, tá bom. Na história Pai Mei mata um monte de gente e depois continua calmamente seguindo seu caminho. Mas é autocontrole. Ou não é? Hehehehehe… Então, o que eu quero dizer é que é importante aprender a se dominar. Não apenas nos sentimentos mesquinhos, como a raiva ou a inveja, mas também nos bons, como o amor. Porque amor, quando não bem administrado, pode ser uma coisa ruim também. O amor pode sufocar. Saca? Tipo Felícia dos Tiny Toons, que esmaga os bichinhos de amor. 
"vou te esmagar de amor"
Minha cardiologista, dra. Adriana, tinha me recomendado ioga, pra me ajudar a controlar não apenas os sentimentos (bons e ruins), mas a ansiedade de um modo geral. Porque ansiosa sou eu, viu? Affz… Não me adaptei à ioga. Ela disse, então: “pilates”. Meu bolso não se adaptou ao pilates. Encontrei um negócio muito bom pra extravasar as energias: dança de salão. Adorei fazer dança de salão. Mas, no fim das contas, optei mesmo pelo meu esporte preferido desde sempre, a natação. E faz bem, viu? A tal da atividade física. Praticar alguma atividade faz com que a secreção de endorfina aumente, o que consequentemente relaxa as artérias, melhora a circulação e beneficia o sistema imunológico da pessoa. E, principalmente, melhora o humor da gente. É legal, é sim. E ajuda no autocontrole. Quem convive comigo há tempos percebe a minha evolução. Antes, por exemplo, eu falava sem me preocupar com as conseqüências. Hoje eu penso dez vezes antes de falar. Na maioria das vezes eu falo do mesmo modo, pensando e tudo, mas de uma maneira mais sábia.  Mas é um exercício diário mesmo. De reflexão e autoconhecimento. E tudo isso tem me feito melhor a cada dia. Mas tem dias, como ontem, que não dá pra segurar, a raiva vem com tudo mesmo. Mas veja como eu estou madura: nem fui tirar satisfações com a pessoa que me fez a raiva. Deixei pra lá. Apenas deletei do GTalk, do MSN e bloqueei os números da figura no meu celular. Só isso. Tás vendo como eu tô evoluída? Praticamente um Pokemon!! =)







* minha amiga Mariazinha, quando faço alguma coisa pouco madura, fala pra mim: "evolui, Pokemon". O título do post é uma homenagem a ela e seus conselhos, que nem sempre são maduros, mas sem dúvida são sempre carinhosos e divertidos. 

3 comentários:

  1. Difícil controlar sentimentos intensos como o amor e a raiva, mas é passando por certas "crises" que vamos aprendendo o caminho a seguir. Mas confesso, já fui Felícia lindamente e guardo em mim um pouco da personagem de Uma Thurman Hahaha. Mentir pra que?! :P E você acertou em cheio sobre ignorar essa pessoa, pois a indiferença é um ótimo remédio para a raiva, e claro, para a pessoa inconveniente/insignificante/indiferente que lhe causou a tal. Bisouss produçãooo!

    ResponderExcluir
  2. Porra Kiki!! Nem sempre maduros foi ótimo... uahuah
    Muito obrigada pela homenagem mas eu não te aconselho quase nunca pq vc nem liga pra isso... auhau
    Só faz o que quer!!
    Bejuxx

    ResponderExcluir

O que você tem a dizer sobre isso?