terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Próximo!!!

a fila anda!
Tem situações que a gente se sente mesmo como um caixa de supermercado, né? Só chamando o próximo da fila. Estou numa fase muito boa da vida, e as coisas estão acontecendo muito pra mim. Principalmente no lado profissional. Vislumbro grandes possibilidades para o meu 2011, se Deus quiser será um ano abençoado nesse campo. Já no campo amoroso... hummm... as coisas não estão indo nada bem. Ou estão. É, na verdade, uma questão de ponto de vista mesmo. Porque assim... interessados aparecem. E eu até distribuí, recentemente, algumas fichas. Mas nada andou de verdade. Recolhi as fichas e acho que vou suspender a distribuição até o próximo ano. Não, não estou pagando de gostosa. É que os caras que estão querendo a ficha... sei não, viu? Só a graça! Por que os caras, em geral, são tão complicados? Gente, na minha cabeça prática feminina é tudo muito, muito simples. Mas pra os caras... as coisas nunca - NUNCA - são simples. Ou quando o cara tem a visão simples da coisa, não sabe fazer o negócio direito. Aí é que é lasca mesmo. Semana passada, por exemplo, fui visitar um potencial cliente. Saí direto do trabalho, estava com calça e camisa manga 3/4, roupa de trampo, nada demais, nada insinuante, nada de nada. Mas eis que a figura, no meio da conversa, espalma o mãozão na minha coxa e fala que eu sou uma delícia. Pow, cara... delícia??? E eu tenho cara de margarina???  Fiquei lavada, passada e engavetada. Não se diz para uma mulher, do nada, que ela é uma delícia, tampouco se mete a mão na coxa dela. Principalmente numa situação profissional. Fiquei com os dois pés atrás com a figura e reunião, agora, só na presença de outras pessoas. É mais seguro para os dentes dele que seja assim. Modo nojento de chegar junto, né? Invasivo, grosseiro. E olhe que ele nem tinha ficha!!! E depois dessa, possibilidade zero de pegar uma. E num é que alguns dias depois, ao telefone, ele foi além? Mandou um "acho que amo você" (!!!!!!!!!!!!!). Devolvi: "não confunda amor com desejo. O que você quer mesmo eu e você sabemos o que é". Ah, bicho... fala sério!! A resposta dele? Um risinho safado de concordância. Tsc, tsc... É muita mala que tem nesse mundo... E olhe que esse tipo de coisa não é agora que estou mais magra não. Há uns 5, 6 anos - muitos quilos a mais - fui fechar um trabalho deveras bacana e o cara saiu com essa: "a proposta é tal, mas a gente acerta os detalhes hoje à noite, num jantar". CACETE! Um pouquinho de respeito, por favor!! É por essas e por outras que vou suspender a distribuição de fichas. Eu já tinha até entregue três, estava avaliando os currículos. Mas vou me dar um tempo. Me concentrar no lado profissional e deixar o barco correr. Quando pintar alguém interessante entrego a ficha pra ele. E, olha só, será a ficha 1. Meu próximo candidato nem vai ter que esperar muito na fila!! Mas pow, meninos... só se candidatem se estiverem bem resolvidos na vida, ok? Caso contrário vou chamar o próximo! 

11 comentários:

  1. Porque essa propaganda enganosa? Você não está com nada! Se tivesse, não perderia seu tempo escrevendo sobre os homens que passaram na sua vida, que estão pra passar ou que te chamam pra sair. Você não precisaria escrever sobre isso na rede, colocar nomes e o que não existe. Todos tem que rir dessa situação que você escreve. Complexada, quer se afirmar e mostrar o que não é, nunca foi e nunca será. Sua cabeça é de gorda. Kiki, você se diz tão inteligente e exigente, mas não quer é adimitir que ninguem te quer. Continue a escrever assim, por que você diverte nossas tardes no trabalho. Ilário. Abraços. Lud.

    ResponderExcluir
  2. É, talvez você tenha razão, prezada Lud (seja lá quem você for). Talvez eu não esteja mesmo com nada. Mas, até onde eu sei, não me gabo de estar com tudo. Acredito que nem Gisele Bündchen, que é uma super-gata, acha que está com tudo. Você, por exemplo. Acha que está? Se acha, recomendo que você comece agora a bolar um plano de marketing e vá ganhar grana com livros e palestras de autoajuda. Quem sabe não estamos diante da nova revelação do segmento? Ah, faça-me o favor... escrever o meu blog não é, de maneira alguma, perda de tempo. É, para mim, um imenso prazer. E a função dele é mais ou menos essa que você identifica quando diz que “todos tem que rir dessa situação que você descreve”. A função é transcrever, de maneira divertida e inteligente, as coisas que acontecem no meu dia a dia. Mas se você assim o considera, uma perda de tempo, pare de lê-lo e vá fazer algo mais produtivo, como trabalhar. Trabalho não é lugar para ficar lendo blogs. Tomara que o seu chefe não leia o seu comentário, ele pode ficar chateado por você usar as suas tardes de trabalho desperdiçando tempo lendo as abobrinhas que escrevo. Sobre os meus posts, eu não cito nomes, principalmente pela preservação das pessoas envolvidas. Cito nomes dos meus amigos – até porque quando eu não os cito eles ficam chateados comigo. Te garanto uma coisa, mesmo não tendo que provar nada pra ninguém, e principalmente pra você que não sei nem quem é: complexada é uma coisinha que eu não sou mesmo. Não era com 135 kg e não sou agora com 85. Sempre me aceitei muito bem, até mesmo porque se eu não me aceitasse a vida teria sido bastante difícil, não é mesmo? Mas não foi. Sou uma pessoa realizada profissionalmente, minha gordura nunca foi impedimento pra nada nesse campo. Namorei muito, fui noiva e – pasme – tenho pretendentes! Pode ser até que eu não desencalhe, mas me divertindo... ah, isso eu estou, e muito. E se isso incomoda tanto – uma gorda que não é recalcada nem complexada – recomendo terapia. Eu já fiz e me ajudou muito. Posso te passar o telefone de dra. Rita, se você quiser. Minha cabeça pode até ser de gorda, mas é, certamente, muito mais bem resolvida que a sua. E sobre inteligência, acho que você não é a pessoa mais adequada pra falar sobre o tema comigo. Isso, inteligente, pelo menos mais que você, tenho certeza que sou. Porque te garanto, que em nenhum dos meus posts aos quais você dedica tempo de leitura, há erros de português como os que você comete. Só para a sua informação, o correto é “admitir” e não adimitir, como você escreveu. Hilário tem um “H” na frente. E porque, quando é pergunta e está no começo da frase, se escreve separado e sem acento. Assim, ó: Por que? Abraços, Kiki.

    ResponderExcluir
  3. Você é digna de pena.

    ResponderExcluir
  4. Terapia, amada. Terapia. Deus te abençoe. =)

    ResponderExcluir
  5. E o que leva a senhora a crer que sou menina? Nunca passou pela sua cabeça que posso ser um dos que não quer nada com você e você insiste até cansar? Você quem precisa de um bom psquiatra. Nem que fosse a última mulher na terra, eu te encararia. Neurótica, complexada e mal amada. Pensa nisso e me deixe em paz.

    ResponderExcluir
  6. Mas se é você que está, insistentemente, comentando no meu blog, quem é que deve deixar quem em paz? Olha a terapia!!!

    ResponderExcluir
  7. Espero ter sido claro. Me deixe em paz!

    ResponderExcluir
  8. eu também. pare de comentar. dãaaannn

    ResponderExcluir
  9. ah, que é isso? elas estão descontroladas!!! huauhauhauhauhauha.. kiki: não pára, não pára, não pára não!!! =P

    ResponderExcluir
  10. ahuhuahauh
    demorei pra ler mas tô adorando... auhuahau
    e posso confirmar que a gata pega mesmo!! auhauha
    bejuxx

    ResponderExcluir
  11. Vixi, Fico uma semana sem ler o teu blog, e um(a) comentarista mal resolvido(a) com preguiça de blogar entra no blog da Kiki só pra falar merda, é foda...

    ResponderExcluir

O que você tem a dizer sobre isso?