quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Onde estará, afinal, o homem da minha vida?

Homem é feito Wally: mosca branca.
Vou abrir este post admitindo a minha idade. Tenho 37 anos e 8 meses. Meu primeiro namorado se chamava Ricardo, era um menino da igreja. Eu tinha 14 anos. Isso quer dizer que comecei a namorar há 23 anos. 23 anos!!! Meu Deus, é muito tempo... onde está a tampa da minha panela? Eu não casei. Nunca, nem com Ricardo nem com ninguém. Claro que tentei. Namorei direitinho, cheguei até a noivar. Tá. Duas vezes. Mas não casei. Sou bonita, interessante, bem-resolvida, independente... por que será que eu encalhei? Um amigo certa vez me falou que eu não iria casar nunca, porque os homens nordestinos têm medo de mulheres como eu. Independente demais pra os padrões locais. Depois de muitas cabeçadas resolvi me tornar assim, digamos, interestadual. Namorei cariocas, baianos (que não se sentem nordestinos), brasilienses, mineiros... também não deu certo. Só pra ilustrar, certa vez comentei com minha mãe que gostaria de comemorar meu aniversário de 30 anos reunindo, além dos amigos, os meus ex-namorados. Ela, sutil que só, largou: "vai fazer aonde, filha? No Arruda??". Pow, mãe...  também não é assim, né? Se ainda fosse nos Aflitos, hahahahaha...*. Mas coisas assim me fazem pensar no que aconteceu comigo, por que será que eu não casei? Tudo bem que moro na capital brasileira com mais mulheres por metro quadrado, de acordo com dados do Censo 2010. Somos 53,87% dos recifenses, o que significa que há 118.808 mulheres a mais que homens na cidade. Em miúdos? FUDEU!!! Vejo, cada dia mais, o véu e a grinalda se afastando de mim. Até mesmo porque não teria a menor graça casar na igreja agora, né? Mãe solteira, coisa e tal... Mas voltando ao assunto, será que o meu nível de exigência sempre foi alto demais? Sou chata mesmo, admito. Gosto de homens inteligentes, divertidos, espirituosos, bem resolvidos, independentes, gostosos... além disso preciso admirar imensamente a pessoa que está ao meu lado, caso contrário não rola. Começo até empolgada, mas depois... PUF! Dia desses mesmo pensei ter conhecido ele, o tal do príncipe encantado. Isso porque ouvi sininhos quando o vi pela primeira vez. Depois, claro, cheguei à conclusão de que tais sinos deveriam vir de algum vendedor de picolé que estava passando por perto na hora. Tás vendo? Acho que a culpa é mesmo minha. Mas será, que em nome do desencalhe, eu deveria abrir mão das coisas que acredito? Será, por exemplo, que eu devo começar a aceitar homens que bebem demais? Ou que ainda não se resolveram profissionalmente? Ou que falam errado? Ou que sejam ateus? Ou que desconheçam completamente a anatomia feminina? Ou que venham com kits família tamanho GG? Sinceramente falando, nem a pau. Se pra ter um homem do meu lado é necessário que eu violente assim os meus quereres, prefiro mesmo ficar sozinha. Serei obrigada a discordar veementemente de Erasmo Carlos em Mesmo que Seja Eu: "filosofia é poesia é o que dizia a minha vó, antes mal acompanhada do que só!". Humm... maybe not. Mas não pensem que eu desisti de encontrar o meu príncipe. Vou continuar procurando, mesmo que no meio do caminho eu continue topando com os sapinhos de plantão. 

* Arruda, para quem não sabe, é o estádio José do Rêgo Maciel, que pertence ao Santa Cruz Futebol Clube, time de Pernambuco. Atualmente é o segundo maior estádio particular do Brasil e o quarto em todo o mundo! Tem capacidade para mais de 60 mil pessoas. Já os Aflitos, ou Estádio Eládio Barros de Carvalho, é o campo do glorioso Clube Náutico Capibaribe, time para o qual eu torço, mesmo sem saber ao certo porque. A capacidade dos Aflitos é de 20 mil pessoas, mais ou menos. 

7 comentários:

  1. Muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito phoda!

    E concordo com vc, nada de ta mal acompanhada dq sozinha...

    O negocio aqui ta cada vez melhor!

    ResponderExcluir
  2. Putz, era algo assim que eu queria ler hoje! um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Amiga, para viver essas duas condições (só ou casada)é preciso saber ser.... As duas te dão alegrias e chatices, as duas têm seus encantos e desencantos. A situação ideal é estar feliz da forma como a nossa vida está neste exato momento. Aproveite a condição de "encalhada" (palavras suas), ela te propociona inúmeras oportunidades que eu, por exemplo, não posso usufruir mais. Palavra de quem adora estar casada, mas se ficar solteira novamente vai aproveitar muito!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Borboleta pequenina17 de dezembro de 2010 10:47

    O psicanalista Flavio Gikovate, (sim, sim, aquele da novela das 8) disse que o tipo de cliente que mais chega no consultório dele são mulheres acima de 40 anos, bem resolvidas profissionalmente, bonitas,inteligentes e... solteiras. E elas chegam com esta mesma pergunta que você faz aqui: - o que há de errado comigo? Gikovate diz que já perdeu muitas clientes (ou todas)justamente por dizer que não há nada de errado com elas. As mulheres se arretam e vão buscar respostas em outra porta. Vê, conheço (e todo mundo conhece)algumas mulheres burrinhas, casadas. Feinhas, casadas. Desinteressantes, casadas. Ou seja não é uma questão de atributos pessoais. Também conhecemos mulheres casadas com gays (não assumidos geralmente), alcoolatras, misóginos e publicitários, ou seja, se juntam com o que há de pior. Nào é uma questão de ser muito ou pouco exigente. Vamos para as estatísticas.... isso sim é um problema. Se pegarmos o pouco de homem que há nessas terras quentes do norte, excluirmos os tapados, nerds, gays, emos, e publicitários, o que sobra então? Os casados! E os solteiros, onde estão? Provavelmente nos bercários, querida. Já que vc ampliou seu raio de ação além das fronteiras estaduais porque não cogitar os bofes internacionais? Americanos são inteligentes como toupeiras adolescentes, franceses são malcheirosos, italianos comem muito alho, espanhóis preferem futebol... o que nos resta.... vejamos.... CHINESES!esses sim estão sobrando do outro lado do mundo. São educados, romanticos, um tantinho abestalhados e desprovidos anatomicamente mas... ah, nada que nossa criatividade não possa resolver. Lembro até de uma matéria que a Sonia Bridi fez, numa praça de Pequim onde todos os domingos, mães aflitas levam fotografias de seus pimpolhos (a maioria na casa dos 30, 40 anos) e ficam exibindo pras moiçolas que passam na tentativa de desencalhar o pródigo. Lá, na China minha filha, homem é bóia. Eu até tentei anotar o nome da tal praça mas o crédito sumiu rápido demais da minha tela de LCD..
    Bom, se vc descobrir afinal o que querem os homens, escreve um livro, um roteiro de minisérie, fica rica e me chama prum espumante, visse?

    ResponderExcluir
  5. bom... só pra registrar eu não acho que há nada errado comigo não, nem disse isso no post, ora pois. tô de ressaca agora (passei a noite em uma farra dançante regada a vodca e whisky) mas depois respondo com calma. palavra de encalhada bem resolvida. =)

    ResponderExcluir
  6. E eu desisti de entender o que querem as mulheres como você. Se uma mulher que já é mãe, não aceita homens com "kit" (conforme suas palavras) e se essa mulher tem quase 40 anos, não vai ser fácil desencalhar, se dizendo bem resolvida ou não. Um homem nessa faixa etária, sem "kit" quer as meninas mais novas, sem "kit" também e com tudo em cima (inteligentes ou não). Isso é comprovado, apesar de eu não concordar ser a melhor escolha. Se quiser conversar, estou aqui. Leio seu blog todos os dias.

    ResponderExcluir
  7. vou começar te respondendo parafraseando Cazuza: "eu quero a sorte de um amor tranquilo, com sabor de fruta mordida...". pois é... não tive essa sorte. pelo menos não ainda. como já disse aqui algumas vezes, já beijei muito sapo mas até agora nenhum deles virou príncipe. sei que na minha faixa etária homens hétero sem "kit" são artigos de luxo. e como todo artigo de luxo... difíceis de encontrar (mas não acho que kit é ponto de corte). mas saiba, mauro, que eu ainda não desisti do amor. sou exigente e seletiva, agora ainda mais, por conta do meu filho, mas não desisti do amor. espero que eu não esteja passando essa idéia errônea aqui no blog. lamento concordar com você sobre a preferência masculina por mulheres mais novas, sem tanto conteúdo mas com tudo em cima. é triste, principalmente porque me enquadro em outra categoria - inteligente e acima do peso. mas enfim, acredito muito em Deus e sei que se o homem da minha vida estiver por aí vou encontra-lo. nem que seja num cruzeiro da terceira idade daqui a alguns anos. hahahahahahaha. obrigada por frequentar o meu blog e volte sempre, quero sempre conversar. prometo que estarei mais leve. mas só amanhã. =)

    ResponderExcluir

O que você tem a dizer sobre isso?